jusbrasil.com.br
26 de Julho de 2021

Correção do FGTS recebe avalanche de ações, advogados e escritórios se reinventam para dar conta da demanda.

Correção FGTS, Estudante
Publicado por Correção FGTS
mês passado

Os telefones dos escritórios e grupos de Whatsapp de advogados não pararam mais desde que, há algumas semanas, se espalhou pelo país a notícia de que o Supremo Tribunal Federal (STF) pode julgar a ação bilionária que pede o direito de revisão dos rendimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a chamada Correção do FGTS a todos trabalhadores que algum dia tiveram dinheiro lá.

As conversas vão da avalanche de novas pessoas querendo ter a própria ação de Correção do FGTS até ofertas ostensivas para atrair clientes para a bolada da década. O julgamento, que chegou a ser agendado para maio, foi novamente adiado pelo STF, sem nova data definida, mas segue no radar de trabalhadores e advogados de todo país.

A ação na mesa da Corte pede a alteração dos juros que desde 1999 corrigem o FGTS e que, historicamente, ficaram abaixo da inflação, implicando em duas décadas de perdas para o poder de compra do dinheiro guardado.

É um tema que atinge um universo estimado em pelo menos 60 milhões de pessoas: todas que trabalharam com carteira assinada alguma vez e que, portanto, têm ou já tiveram algum recurso no FGTS nesse período. A fatura pode custar mais de R$ 290 bilhões para os cofres públicos, nos cálculos do governo, caso o STF decida que a diferença dos valores pagos abaixo da inflação no passado tem que ser devolvida.

A expectativa de muitos especialistas é que, dado o histórico de outras decisões do STF, a Casa decida modular a questão, ou seja, limitar seu alcance no tempo, permitindo a revisão retroativa dos valores apenas para quem já tivesse ação aberta antes da data da decisão.

É por isso que a recomendação geral foi para que os interessados abram o seu processo ou entrem em uma ação coletiva antes de o tema ganhar a decisão definitiva do STF, e foi também o que causou a correria aos escritórios. Como o Supremo adiou o julgamento, os trabalhadores e advogados ganharam também mais tempo nessa urgência.

Advogados alertam, porém, que não se trata de uma ação de causa ganha garantida e que, por essa razão, ela também não é completamente livre de riscos. Em algumas situações, caso o STF decida de maneira desfavorável aos trabalhadores, a pessoa pode perder a ação e ter que arcar com custos do processo que podem ser altos depois. Alguns apontam também para a possibilidade de que ações coletivas acabem desconsideradas, pela natureza individual de cada revisão a ser feita.

“O mais seguro é ingressar com a ação, sabendo que há a possibilidade de ter gastos de sucumbência e custas depois”, disse Abílio Osmar Santos, sócio da Bruno Freire Advogados. “O maior risco é o STF decidir em benefício dos trabalhadores, a pessoa não ter ingressado com a demanda e só aqueles que tiverem feito o pedido antes terem direito ao benefício.”

O QUE ESTÁ EM JOGO

O FGTS tem uma remuneração fixa de 3% ao ano acrescida da Taxa Referencial (TR), uma taxa de juros fixada pelo Banco Central e que, desde 1999, quando teve sua metodologia mudada, ficou abaixo de outras taxas e indicadores, incluindo a inflação. Isso significa que o dinheiro aplicado no fundo de garantia foi perdendo poder de compra ao longo do tempo.

A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 5.090/2014) contesta a remuneração feita pela TR e pede que ela seja alterada, e é essa petição que aguarda a apreciação do STF.

O julgamento já foi adiado algumas vezes, a mais recente delas no início de maio, sem nova data definida. O que o STF decidir valerá para todas as ações em andamento na Justiça sobre o tema.

POR QUE DEVO ENTRAR COM AÇÃO O QUANTO ANTES ?

O Supremo pode modular a decisão, isto é, limitar o seu alcance, de maneira que só quem já tenha com alguma ação ajuizada até o dia da decisão consiga o direito à revisão dos valores do passado.

Por esta possibilidade, o conselho de especialistas é que os trabalhadores e advogados entrem com a ação o quanto antes, visando garantir uma ainda maior possibilidade de que o trabalhador receba os valores referentes a correção.

OPORTUNIDADES TAMBÉM PARA ADVOGADOS E ESCRITÓRIOS.

O assunto não mexeu apenas com os trabalhadores, como efeito da repercussão do assunto a corrida dos trabalhadores a procura de advogados e escritórios de advocacia para dar entrada na Ação de Correção do FGTS fez aumentar significativamente a possibilidade de ganhos de Advogados e Escritórios em todo o país, muitos escritórios viram seu número de clientes duplicar ou triplicar em um curto espaço de tempo, isso requer do profissional ou escritório um preparo para lidar com a alta procura de clientes, é necessário que o profissional esteja munido de conhecimento e ferramentas que lhes possibilite aproveitar o máximo desta avalanche de procura aos advogados pela ação.

Uma das ferramentas mais procuradas por advogados na internet atualmente é o Material para Advogados Correção do FGTS 2021, o material se consiste em um Kit de documentos que conta com petição inicial, planilhas, embargos, recursos, contratos, réplicas, agravos e muitos outros modelos pronto de documentos inerentes a tese, todos elaborados por profissionais de auto nível com experiência em causas vitoriosas, oferecendo assim, segurança, qualidade e padronização dos documentos envolvidos, evitando erros e indeferimentos, saiba identificar uma grande oportunidade, esse material permite aos advogados e escritórios o atendimento de um número muito maior de clientes em menor espaço de tempo, oferecendo uma grande oportunidade de lucro e crescimento em um curto espaço de tempo, se tiver interesse em mais informações sobre o material acesse o site oficial clicando aqui.

Leia também:

+ Site disponibiliza mais de 250 mil modelos de petições atualizas e editáveis a advogados de todo Brasil, veja como acessar.

+ STF exclui ICMS do PIS/Cofins a partir de 2017, veja como buscar a restituição para seus clientes.


2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Sugiro aos trabalhadores que prefiram sejam as ações ajuizadas perante o Juizado Especial Federal, se o valor das diferenças apuradas for menor que 60 salários mínimos. Pois caso perca a ação não terão que pagar custas processuais e honorários de advogado adverso, já que em princípio não há penalização da sucumbência no JEF. continuar lendo

Eu faço esses cálculo de Revisão do FGTS.

Meu nome é Paulo Lima. sou Perito em Cálculos judiciais.
Tenho um escritório de cálculos (Portofino Contabilidade e Perícia)

Se quiser entrar em contato: Segue meu WhatsApp: 82-99809-3563 continuar lendo